Parasitas externos de animais domésticos, silvestres e do homem. São vetores de microorganismos patogênicos incluindo bactérias, protozoários, e vírus.

São parasitas que se fixam firmemente em seus hospedeiros, a fim de se alimentarem de sangue por meio de sucção. Isso ocorre devido ao fato de possuírem um dispositivo em forma de âncora no aparelho bucal.

Conhecidos vulgarmente como “Carrapatos Duros”, apresentam um escudo rígido que cobre toda a face dorsal. Em todos os estágios de desenvolvimento, fixam-se em seus hospedeiros por longo tempo para alimentar-se. A maioria dos carrapatos de interesse médico-veterinário estão incluídos neste grupo.

Doenças Transmitidas:

  • Febre Maculosa – Conhecida como Febre das Montanhas Rochosas, Febre do Carrapato. Pode ser aguda e facilmente confundida com um estado gripal (febre e dor de cabeça).
  • Doença de Lyme – Doença de evolução complexa, podendo envolver alterações dermatológicas, cardíacas e articulares.

Podem causar nos animais:

  • Dermatoses – inflamação, prurido, edema e ulceração no local da picada.
  • Perda de sangue – condição séria com desenvolvimento de anemia nos animais fortemente infestados.
  • Otocaríese – infestação do canal auditivo pelos carrapatos, com possíveis infecções secundárias.
  • Toxemia e paralisias – causadas pela inoculação de saliva tóxica nos vertebrados.
  • Infecções – transmitidas por carrapatos, incluindo babesioses, riquetsioses, borrelioses, bacterioses, viroses, etc.